Top 5: Os livros que me fizeram chorar

agosto 4, 2017


Compartilhe esse artigo com os amigos:

Oi oi leitores e leitoras! Tudo bom por ae? Hoje vou trazer para vocês os Top 5: Livros que me fizeram chorar.

Separei os livros que realmente mais mexeram comigo, e que em uma parte ou outra conseguiram me fazer chorar.

Já faz bem um tempo que isso não acontece comigo! Mas é por que ultimamente eu mudei bastante meu foco de leitura e anda me aventurando muito em um universo mais terror/Suspense, um pouco estilo Stephen King…

Mais ate em meio ao terror/Suspense eu ainda consegui chorar um pouco – Talvez porque eu realmente chore fácil. hahaha

Mais vamos lá aos livros que me fizeram chorar:

A culpa é das estrelas

 

Para mim, não tem como começar a falar de livros que me fizeram chorar sem começar por este!

O mais doloroso de todos que tenho – na minha opinião! A culpa é das estrelas.

Sinopse:

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

A culpa é das estrelas é aquele livro fofo com uma pitada de crueldade e realidade que só o John Green é capaz de colocar com tanta naturalidade no universo infanto-juvenil.

Li ele umas 5 vezes e vi o filme um milhão de vezes! – um dos únicos filmes que na minha opinião foi mais próximo do enredo do livro!

Sei que na época em que ele foi lançado, ele logo foi tachado de “Modinha”, porém esse livro eu te garanto que se foi uma modinha foi uma modinha boa! Porque esse livro trouxe muitos jovens para o mundo literário!

Como eu era antes de você

Esse eu li sem muito interesse, porém quando eu vi já estava perdidamente apaixonada no enredo, nos personagens… E completamente abalada com tudo que estava se desenrolando!

Sinopse:

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico.

Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Como eu era antes de você é aquele livro que irá te fazer refletir, chorar, querer bater em alguns personagens em alguns pontos.

Mas também irá fazer você pensar em coisas que você as vezes tem e talvez não da valor! Aquela coisinha tão simples que chega a ser banal no nosso cotidiano. Mas quando isso é tirado de nós, não há como não parar e pensar “E agora? Como vai ser daqui para frente?

Diário de uma paixão

Ah o nosso amado Nicholas Sparks tem o dom da escrita mais romântica e cruel que eu conheço!

Quem num se apaixonou por um livro do Nicholas? quem nunca chorou com um livro dele nas mãos?

E Diário de uma paixão realmente faz isso com a gente!

Sinopse:

Duke é um homem simples com uma vida modesta, mas amou alguém de todo o coração e, para ele, isso sempre foi suficiente. Na clínica de repouso em que vive, Duke se dedica a ler poemas para os outros pacientes, mas, para uma senhora que sofre de Alzheimer – e somente para ela –. Lê um diário especial à espera de que um milagre aconteça

.Nele está escrita a emocionante história de Allie Nelson e Noah Calhoun. Dois jovens que descobrem o verdadeiro significado da paixão, mas são separados por uma série de obstáculos e mal-entendidos.

Muitos anos depois, a vida dá conta de uni-los novamente. E a paixão volta com todo o seu fulgor. Já noiva de um bem-sucedido advogado, Allie precisa optar entre manter o rumo estável de sua vida e se entregar ao verdadeiro amor, correndo todos os riscos.

Com a leitura do diário, Duke recorda a própria vida e, às vezes, a senhora consegue romper as barreiras da doença. E retomar sua antiga identidade alegre e vivaz. E, sempre que isso acontece, Duke tem a certeza de que o amor relatado nas páginas do diário é a força mais poderosa do Universo.

Diário de uma paixão foi o primeiro romance publicado por Nicholas Sparks e é uma prova do talento que o consagrou por todo o mundo. Entremeando as histórias de Allie, Noah e Duke, ele construiu um conto romântico que se tornou um verdadeiro clássico.

É aquele livro que quando você percebe tudo que está acontecendo, você perde seu chão! E ganha um sensibilidade do que é o amor verdadeiro!

Não tem como não amar e chorar lendo esse livro.

A menina que roubava livros

Temos resenha deste livro aqui no nosso blog (Aqui), porém não teria como deixa-ló de fora!

Pois A menina que roubava livros, irá te fazer chorar sim! Irá te arrancar de onde você estiver e te transportar para a Alemanha em meio a segunda Guerra Mundial. E você irá sentir sua angustia, seu sofrimento em meio aos bombardeios!

Sinopse:

A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro.

O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich.

Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu. Que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.

A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto. Um sucesso absoluto – e raro – de crítica e público.

À espera de um milagre

Em último lugar aqui na lista mais em primeiro lugar em litros de lágrimas que eu derramei está: À espera de um milagre!

À espera de um milagre não é um romance. Porém é tão avassalador quanto!

Sinopse:

Uma trama de mistério e terror, ambientada nos anos 1930, em plena depressão americana, num cenário de desespero e sufoco: a penitenciária de Cold Mountain.Stephen King foi buscar no lado mais sombrio de sua imaginação a história assombrosa de John Coffey. Condenado à morte, e seu encontro fatal com o carcereiro Paul Edgecombe.

Originalmente publicado em seis partes, com o título de “O Corredor da Morte”. O romance é agora lançado em volume único: “À Espera de um Milagre”. Nas telas, o diretor Frank Darabont recria a história magistral de King, com Tom Hanks interpretando o guarda Edgecombe.

Inspirado em Dickens, Stephen escreveu seu romance seriado. E a cada parte lançada, ele mudava o rumo da da história de acordo com os relatos de seus leitores. Assim compôs esta narrativa impressionante. Sobre o período em que os detentos no corredor da morte aguardam o desfecho de suas vidas no colo da “Velha Fagulha” ou “Carga Pesada”. -Como eles chamam a cadeira elétrica, na esperança de assim, com essa pretensa piada, diminuir o pavor da execução.

Muitos criminosos o guarda Edgecombe conduziu à morte -exatamente 78 homens. Mas John Coffey, acusado de ter assassinado brutalmente duas meninas, era diferente.
Havia algo em Coffey que não combinava com a imagem de demônio. Algo que fazia Edgecombe suspeitar que talvez fosse outra a história. O grande mestre do terror vai conduzindo o leitor, junto com seus personagens, pelo longo e tenebroso corredor da morte. Uma viagem aterradora, que só poderia ter resultado da mente perturbadora e excepcional de Stephen King.

Um enredo tão bem escrito que só poderia ser do Stephen King!

E o filme – OMG – vi somente uma vez,pois sei que meu coração não aguentaria uma segunda! Já tentei ver de novo, mais sempre começo a chorar no primeiro segundo de filme, só pensando em tudo que se passa. E logo desisto!

Mas vale a pena ler e ver o filme! Super recomendo!

 

 

Então leitores e leitoras! Esse foi o meu primeiro top 5 do blog.

Espero que tenham gostado!

Compartilhe esse artigo com os amigos:

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.